Blog

Candidíase também pode ser uma DST

Candidíase também pode ser uma DST

Causada pelo fungo Candida albicans, a candidíase ou monolíase é uma infecção que pode acometer as regiões inguinal, perianal e períneo. Esse micro-organismo vive naturalmente dentro do organismo sem causar danos, mas pode ser prejudicial quando há situações de desequilíbrio.

Alguns fatores que propiciam o desenvolvimento da candidíase são: baixa imunidade, ambiente quente e úmido na região genital, uso de antibióticos, anticoncepcionais, corticoides, alergias, HPV, dentre outros.

Além disso, a candidíase também pode ser transmitida durante uma relação sexual, mesmo não sendo considerada uma DST (doença sexualmente transmissível). Homens e mulheres podem desenvolver o problema e apresentar os sintomas.

 

Sintomas

      Mulheres

  • Coceira na vulva;
  • Corrimento esbranquiçado;
  • Dor ou incomodo durante as relações sexuais;

 

 

      Homens

  • Vermelhidão;
  • Edema leve;
  • Prurido (coceira);
  • Lesões em forma de pontos.

 

Diagnóstico e Tratamento

Durante a consulta, o médico faz uma análise da mucosa vaginal ou do pênis. O diagnóstico é feito através de exame clínico, de laboratório e também do Papanicolau (no caso das mulheres).

Uma vez confirmada a infecção, é preciso determinar as suas causas para poder combater as recidivas. O médico pode prescrever o uso de antimicóticos e pomadas antifúngicas para uso local.

Quando se trata de uma infecção muito grave, o tratamento pode ser feito com o uso de medicamento via oral: antifúngico.

 

É possível prevenir?

Alguns hábitos podem ser adotados de maneira eficientes na prevenção da candidíase. O primeiro deles é o uso de preservativo durante as relações sexuais.

As mulheres devem fazer a higiene íntima com sabonete de pH neutro. Além disso, dar preferência ao uso de calcinha de algodão, evitar o uso calcinhas molhadas por tempo prolongado e de absorvente íntimo todos os dias. Os homens também devem evitar o uso de cuecas molhadas por tempo prolongado.